quarta-feira, 19 de março de 2014

BRASIL: RJ: NITERÓI:
 Igreja de São Sebastião de Itaipú - 
 Church of Saint Sebastian of Itaipu

1 – Localização:
Niterói. Região Oceânica. Itaipú. Estrada Francisco da Cruz Nunes, 8429 (22°58'9.09"S, 43° 2'29.49"O)
2 – História:
A Igreja de São Sebastião do Itaipú começou a ser construída em 1650, por padres jesuítas, em um local que atendia à catequese de escravos, índios e pescadores livres da região, que até então era apenas uma comunidade com intensa atividade econômica na produção de açúcar e aguardente. A obra ficou pronta por volta de 1716. Era subordinada à Freguesia de São João de Icaraí.
“Na situaçaõ de Itáipúyg está a Freguesia dedicada á S. Sebastião , que à titulo de Capella foi erecta antes do anno 1716 […] (Araújo, 1820, vol. 4, pg. 95)
Em 1721, através de decreto do rei de Portugal, D. João V, a igreja foi elevada à condição de paróquia independente.
[…], mas no de 1721 enobrecida com a prerogativa de Parochia independente como informou o Visitador Bento Lobo Gaviaõ.” (Araújo, 1820, vol. 4, pg. 95)
Em 1755 foi fundada a freguesia de São Sebastião de Itaipu, tendo como seu primeiro pároco o Padre Manuel da Costa, que ficou à sua frente por 67 anos ininterruptos. Esta Freguesia foi formada por desmembramento da Freguesia de São João de Icaraí.
“Teve entrada na Classe das Igrejas perpetuas pelo Alvará de 12 de Janeiro de 1755, e foi seu 1.° Pároco próprio o Padre Manoel Francisco da Costa , por Apresentação de 24 do mesmo mez , e anno , e Confirmação de 4 de Junho seguinte.” (Araújo, 1820, vol. 4, pg. 95)
Depois de várias décadas usada como a principal paróquia para missas e festividades da região, a igreja de São Sebastião foi sofrendo desgastes, encontrando-se, estruturalmente, em situação precária.
“Há notícia que existe desde 1716. Notável construção jesuítica, próxima à praia de Itaipú. Exteriormente, a igreja localizada numa elevação tem aspecto imponente. Duas torres. Interiormente é simples: dois altares laterais, de Santa Teresa e N. S. das Dores, imbutidos nas paredes maciças. Na sacristia existe um lavabo em pedra, estilo barroco. A pia do batistério é cavada em um grande bloco de gneiss local” (Saint Adolphe)
A freguesia tinha os seguintes limites:
“Em mais de 3 legoas se divide , ao N , com a Freguezia de S. Gonçalo ; em 3 , à L. , com a de N. S- do Amparo de Maricáa ; ao S. , com o mar grosso , que pouco lhe dista ; em perto de 2, á E, com a de S. Joaõ Baptista de Carihy.” (Araújo, 1820, vol. 4, pg. 95)
            A comunidade era pequena
 “N'esse circulo numera 100 ou pouco mais Fogos , e álem de 800 Almas , obrigadas á Sacramentos.” (Araújo, 1820, vol. 4, pg. 95)
Em 1839, havendo necessidade de uma restauração, o futuro Visconde do Uruguai providenciou as obras de recuperação, mas que por diversas vezes foram interrompidas. Em 1840, o Governo da Província contratou os serviços de João Pinto de Lacerda, mas as obras não foram concluídas, paralisando-se, definitivamente, em 1848. Em 19 de maio de 1861 foi criada a irmandade de São Sebastião. Em 1891, devido à proclamação da República, o Governador Francisco Portela, entregou-a juntamente com outras ao Bispado do Rio de Janeiro. Somente em 1889 a igreja foi totalmente restaurada, pela própria comunidade, para a realização da festa do padroeiro. As famílias da localidade, em sua grande parte fazendeiros, passaram a cuidar da Igreja, que, em 1897, passou para a jurisdição de São Gonçalo.

Em 1908, por falta de padres, o bispo de Niterói, Dom Francisco do Rego Maia, transferiu a paróquia para a matriz de Nossa Senhora da Conceição de Jurujuba, e, mais tarde, à de Rio do Ouro, ficando assim abandonada por 69 anos. Em 1977, chegou um novo pároco para Itaipu, o Missionário Redentorista Padre Lúcio Pinho, nomeado pelo Bispo D. José Gonçalves da Costa. Após um grande trabalho de reestruturação orientado pelo INEPAC, em 1983, tomaram posse da paróquia, os padres poloneses da Sociedade do Apostolado Católico, Palotinos, tendo como seu primeiro pároco o Padre João Sopicki. São Sebastião é comemorado a 20 de janeiro e esta igreja é a Matriz da Paróquia de São Sebastião de Itaipu, subordinada à Arquidiocese de Niterói.
3 – Descrição:
A Igreja de São Sebastião de Itaipu tem uma orientação geral nordeste-sudoeste, com frente para sudoeste e maior eixo ântero-posterior. O telhamento é por telhas em duas águas. No adro da igreja, à esquerda, há uma imagem de Nossa Senhora comemorativa dos 500 anos da primeira missa no Brasil (1500). Na fachada anterior, na altura do corpo da nave, há uma porta no primeiro andar, à qual se chega após uma pequena escada de seis andares, e três janelas na altura do coro; encima há uma cornija em toda a extensão da fachada anterior, e mais no alto há um frontão com um óculo cruciforme no centro e nas bordas apresenta volutas, sendo encimado por uma cruz. Na fachada anterior existe uma torre sineira em ambos os lados da nave central, tendo cada torre uma pequena seteira no primeiro andar e outra no segundo andar (na altura das janelas do coro). No alto de cada torre há um sino central, mas havendo aberturas em arco em cada um dos quatro lados. A torre termina com um campanário encimado por zimbório com um pináculo no topo e outro em cada canto da torre. Na fachada anterior há 2 cunhais de cada lado, um separando a nave da torre sineira e outro no canto exterior da torre. Em ambas as fachadas laterais, a torre se destaca projetando da fachada; em cada extremidade da torre há, também, um cunhal. No lado direito, meio da nave, há uma porta e depois uma projeção lateral representada pela sacristia. Esta é mais baixa que o corpo da nave e apresenta telhado inclinado; na face anterior da sacristia há uma porta e na lateral três janelas. No lado esquerdo há uma porta na altura da nave e outra na altura da capela-mor. Na parede posterior original há um óculo no alto; junto a esta parede, atualmente, há várias construções, como banheiros e lanchonete.
Possui um pé direito de aproximadamente 12 m de altura, sendo o teto todo em ripa de madeira, abobadado. Todas as janelas e portas são de verga reta, sem sobreverga. Passada a porta principal para o interior da nave, há, de cada lado da parede anterior da nave, uma pia de pedra e um santo: no lado direito São Francisco e no esquerdo São José com o menino Jesus. Na nave, à direita, sob a torre sineira, há um cômodo com escada para o coro; após este cômodo, há uma porta para o exterior e um oratório em arco com uma imagem de Nossa Senhora das Dores. Na nave, à esquerda, sob a torre sineira, fica a capela batismal com a pia batismal esculpida em pedra gnaisse extraída da região; após esta capela, há uma porta para o exterior e um oratório em arco com uma imagem do Sagrado Coração de Jesus (antes era de Santa Thereza). Em ambos os lados da nave há pequenos quadros com as estações da via sacra. Logo após a entrada, no segundo andar, fica o coro com três janelas para o exterior. A capela-mor é mais estreita que a nave e possui uma porta à esquerda para o exterior e uma à direita para a sacristia. A parte posterior da capela-mor é mais elevado e possui uma mesa de altar e no fundo o altar-mor, ambos de madeira pintada de branco com detalhes em dourado. O altar-mor é original e em talha simples, completamente restaurado, tendo no lado direito uma imagem de São Sebastião e no lado esquerdo São Vicente Palloti; a parte central tem três níveis: no mais alto, um Jesus crucificado ladeado por anjos alados; no do meio, dois anjos; no mais baixo Nossa Senhora Aparecida em uma estátua toda preta. A sacristia possui três janelas na parede direita e uma porta na parede anterior, que dão para o exterior; na parede esquerda há uma porta para a capela-mor. Na sua parede posterior há uma pia de pedra e ao lado uma pia batismal de pedra. Na sua parede esquerda há, após a porta da capela-mor, um oratório com a imagem de São Sebastião e depois uma porta pequena e um pouco elevada para um cubículo. Há muitos móveis de madeira na sacristia.
4 – Visitação:
Terça a sexta às 200h, sábado às 19:00h; domingo às 9:30h e 20:00h. Tel. 2709-4056
5 – Bibliografia:
- ARAÚJO, José de Souza Azevedo Pizarro e. Memórias Históricas do Rio de Janeiro e das Províncias anexas à Jurisdição do Vice-Rei do Estado do Brasil, vol. 2. Rio de Janeiro: Impressão Régia, 1820.
- PALMIER, Luiz. São Gonçalo Cinquentenário. São Gonçalo, 1940.
http://wikimapia.org/8813153/pt/Igreja-de-S%C3%A3o-Sebasti%C3%A3o-de-Itaipu

Church of Saint Sebastian of Itaipu: Brazil, State of Rio de Janeiro, City of Niterói
           The Church of Saint Sebastian of Itaipu was built from 1650 to 1716, by Jesuit priests. In 1755, it was created the parish of Saint Sebastian of Itaipu. After several decades used as the parish church, structural problems began to show. In 1839, it was started its restoration, but this was repeatedly interrupted. The restoration paralyzed definitely in 1848. Only in 1889 the church was completely restored by the community itself. In 1908, due to a shortage of priests, the church of Nossa Senhora da Conceição of Jurujuba became the parish church, and later, the church of Rio do Ouro. Saint Sebastian of Itaipu was abandoned for 69 years. In 1983 after a major restauration of the church, the polish priests of the Society of the Catholic Apostolate (Palotinos) took possession of the parish.

Imagem Google Earth. Observe a proximidade da praia e do recolhimento de Santa Tereza


Vista satélite google
Imagem Google Earth. Face anterior
Imagem Google Earth. Face esquerda
Imagem Google Earth. Frente e face direita
Imagem Google Earth. Fundos
Frente, em antiga foto
Frente, década de 1960
Frente, foto antiga
Frente e parte do lado direito, em antiga foto


Frente, antes de 1941
Praia de Itaipu com a igreja de São Sebastião ao fundo
Igreja, frente e lado esquerdo, antes de 1941
Frente, antes da reforma
Adro. Imagem de Nossa Senhora. Comemoração
 de 500 anos da primeira missa no Brasil
(foto do autor)
Frente (foto do autor)
Frente (foto do autor)
Frente (foto do autor)
Frente (foto do autor)

Frente (foto do autor)
Frente (foto do autor)
Frente e lado esquerdo da torre sineira
 (foto do autor)

Frente e lado esquerdo (foto do autor)
Lado direito. Observe a porta na nave
(foto do autor)
Lado direito. A porta pertence à sacristia (foto do autor)
Lado direito. Observe a porta anterior da sacristia (foto do autor)
Lado direito (foto do autor)
Lado direito. As janelas são da sacristia (foto do autor)
Lado direito: sacristia (foto do autor)
Lado esquerdo. Observe a porta na nave e outra na capela-mor (foto do autor)
Lado esquerdo. Observe a porta na nave e
 outra na capela-mor (foto do autor)
Lado esquerdo (foto do autor)

Lado esquerdo. Observe a porta na nave (foto do autor)
Fundos (foto do autor)
Fundos (foto do autor)
Nave e coro (foto do autor)
Nave e coro (foto do autor)
Nave e coro (foto do autor)
Nave e coro (foto do autor)
Nave. Cômodo à direita (foto do autor)
Nave, parede anterior. Imagem São Francisco
 (foto do autor)
Nave, parede anterior. Imagem São José
 (foto do autor)
Nave, parede anterior. Imagem São José
(foto do autor)
Nave, cômodo à direita e imagem de São
 Francisco (foto do autor)
Pia batismal (foto do autor)
Imagem da capela batismal (foto do autor)
Nave e capela-mor (foto do autor)

Nave e capela-mor (foto do autor)

Nave e capela-mor (foto do autor)

Nave e capela-mor (foto do autor)

Nave e capela-mor (foto do autor)
Nave e capela-mor (foto do autor)

Nave e capela-mor (foto do autor)
Nave parede esquerda e capela mor. Observe o oratório do Sagrado Coração de
 Jesus (foto do autor)
Nave parede esquerda. Observe a porta da nave e o oratório do Sagrado
 Coração de Jesus (foto do autor)
Nave parede esquerda e coro. Observe a porta da nave e o oratório do
 Sagrado Coração de Jesus (foto do autor)
Nave parede esquerda e capela mor. Observe a porta da nave e o oratório
do Sagrado Coração de Jesus (foto do autor)
Nave parede esquerda . Oratório do Sagrado
 Coração de Jesus (foto do autor)
Nave parede direita. Observe a porta da nave o oratório de Nossa Senhora das
 Dores (foto do autor)
Nave parede direita. Observe a porta da nave e o oratório de Nossa Senhora
 das Dores (foto do autor)
Nave parede direita e coro. Observe o oratório de Nossa Senhora das Dores
(foto do autor)

Nave parede direita vista da porta esquerda.
Observe o oratório de Nossa Senhora das Dores
(foto do autor)

Nave parede direita. Oratório de Nossa Senhora
das Dores (foto do autor)
Capela-mor vista da porta na parede exterior
 esquerda. Ao fundo a sacristia (foto do autor)
Capela-mor olhando para a porta na parede exterior esquerda (foto do autor)
Capela-mor (foto do autor)

Capela-mor olhando para a porta na parede direita e a sacristia (foto do autor)

Capela-mor. Altar-mor (foto do autor)
Capela-mor. Altar-mor (foto do autor)

Capela-mor. Altar-mor (foto do autor)

Capela-mor. Altar-mor (foto do autor)
Capela-mor. Altar-mor (foto do autor)

Capela-mor. Altar-mor (foto do autor)
Capela-mor. Altar-mor (foto do autor)
Capela-mor. mesa do altar-mor (foto do autor)
Capela-mor. Base do altar-mor (foto do autor)
Capela-mor. Altar-mor. Imagem de São Sebastião
 (foto do autor)

Capela-mor. Altar-mor. Imagem de São Vicente
 Palloti (foto do autor)
Sacristia vista da porta exterior, parede esquerda (foto do autor)
Sacristia vista da porta exterior, parede direita. Observe as três janelas (foto do autor)

Sacristia, parede esquerda. Observe o cubículo
com entrada mais elevadas (foto do autor)
                              
Sacristia, parede esquerda. Oratório de São Sebastião (foto do autor)
Sacristia (foto do autor)
Sacristia, parede direita (foto do autor)
Sacristia, parede direita (foto do autor)
Sacristia, parede esquerda olhando para a porta exterior (foto do autor)

Sacristia, parede direita (foto do autor)
Sacristia, parede posterior. Pia de pedra
 (foto do autor)
Sacristia, parede posterior. Pia batismal
 (foto do autor)
Praça próxima à igreja, 1974. Observe a pirâmide e o canhão
Praça. Canhão