sexta-feira, 24 de abril de 2015

BRASIL: RJ: RIO DE JANEIRO: 
Monumento à Amizade Brasil e EUA - 
Monument to Friendship Brazil USA

1 – Localização:
Município do Rio de Janeiro. Ap 1.0. Centro. Praça Quatro de Julho (-22.911971, -43.173489)
2 – Histórico:
O Monumento à Amizade entre Brasil e os Estados Unidos foi ofertado pela American Chamber of Commerce (Câmara de Comércio Americana) em 1922, para comemorar o primeiro centenário da independência do Brasil. Para isto, aquela associação organizou uma comissão, sob a presidência de John Merril, com o fim de angariar donativos para a aquisição de um bronze representando a Amizade, a ser oferecido ao povo brasileiro. Foram arrecadados 40.000 dólares (cerca de 800 mil cruzeiros), que se usaram para confeccionar uma estátua de bronze pelo escultor americano Charles Keeke. A estátua foi fundida na cidade de Nova York, nas oficinas de The Henry Bonnard, e pesava aproximadamente oito toneladas. Em 1922, perante as altas autoridades brasileiras e americanas, o chanceler americano, Sr. Charles Hughes, doou o bronze ao Brasil. No entanto, por falta de um pedestal adequado, a escultura não foi inaugurada e permaneceu sob a guarda da Companhia Expresso Federal até 1931.
Neste ano, o Centro Carioca, atendendo a uma sugestão do sócio Agostinho Dias Nunes de Almeida, pleiteou junto ao interventor (Governador) do Rio de Janeiro, Adolfo Bergamini, a inauguração do monumento. Este entregou a solução do caso a Pedro Viana da Silva, diretor de Arborização e Jardins, que, em colaboração com o professor Benevenuto Berna, Edmundo Miranda Jordão, Agostinho Dias Nunes de Almeida e o professor Ariosto Berna, membros do referido Centro, tomou as providências que o assunto requeria. Na administração anterior haviam sido elaborados alguns projetos, variando os preços entre Cr$ 150.000,00 e 300.000,00. Pedro Viana da Silva, depois de meticulosos estudos, encontrou meios de reduzir as despesas. O pintor Arquimedes Silva técnico da Diretoria de Arborização e Jardins, traçou o desenho do pedestal, obedecendo a linhas simples. O projeto foi complementado com alegorias encomendadas ao escultor Benevenuto  Berna.  As alegoria representavam duas alianças entrelaçadas, de uma das quais surgia o busto de Washington, e de outra, o de José Bonifácio – envolvido o primeiro por folhas de carvalho, simbolizando o poderio do Exército libertador dos Estados Unidos, que ele comandou; e o segundo, de folhas de louro, a recordar a glória do Patriarca da Independência do Brasil. No centro das duas alianças, duas palmas representam as duas grandes nações, sendo envolvidas por folhas de hera, símbolo da amizade perene. Esta obra foi fundida nas oficinas de Heitor Betta. 
Em 4 de julho de 1931, às 10:00 h da manhã, o Monumento a Amizade foi inaugurado oficialmente na Praça Estados Unidos, no cruzamento das Avenidas Presidente Wilson e Aparício Borges. À solenidade estiveram presentes o então chefe do Governo Provisório, Getúlio Vargas, o embaixador dos EUA, Edwin Morgan, o Prefeito do Distrito Federal Adolfo Bergamini, os ministros Afrânio de Melo Franco (Relações Exteriores), Osvaldo Aranha (Justiça), José Américo (Aviação), Lindolfo Collor (Trabalho), Mário Carneiro, encarregado do expediente do Ministério da Agricultura, Batista Luzardo, chefe de Polícia, autoridades civis e militares, inúmeros representantes de entidades comerciais e cerca de 1.500 alunos das escolas municipais. Durante a solenidade, evoluíram vários aviões do Exército e da Marinha, tendo formado, também, uma companhia da Polícia Militar, em grande uniforme. À noite, entre 19 e 22 horas, bandas de música realizaram um concerto na praça onde se erguia a estátua.
Em 1942, o monumento foi transferido para a Praça Quatro de Julho, em frente à Embaixada dos Estados Unidos (atual Consulado Geral dos Estados Unidos no Rio de Janeiro), onde um novo pedestal mais alto, com 8 metros de altura, foi então construído abandonando o traçado original. As efigies criadas por  Benevenuto Berna foram mantidas e uma nova placa de inauguração foi incluída abaixo das alegorias com os seguintes dizeres: “Amizade do povo norte-americano ao povo brasileiro. 7-9-1822 – 7-9-1922. A estátua foi colocada sobre novo pedestal nesta praça, em 4 de julho de 1942. Presidente da República, Dr. Getúlio Vargas. Prefeito do Distrito Federal, Dr. Henrique Dodsworth”. Atualmente, as letras em bronze que compunham o texto acima não constam mais do pedestal e não há informações se foram removidas oficialmente. Na lado oposto do pedestal, do lado da Avenida Presidente Wilson, esta escrito em baixo relevo, esculpido no granito, as informações sobre o monumento e abaixo o simbolo da República do Brasil em bronze. “No Governo provisório da Republica, presidido pelo exmo Sr. Dr. Getulio Vargas, erigiu-se por ordem do Exmo Sr. Dr. Adolfo Bergamini, este monumento, cuja estátua foi obtida por subscrição entre o povo dos Estados Unidos da América do Norte, sob os aspirios da América Chamber of Comner for Brazil, em comemoração do centenário da Independência do Brasil. Inaugurado a 4 de julho de 1931.”
3 - Descrição:
O monumento localiza-se no meio da praça sobre um alto pedestal hexagonal. O monumento encontra-se virado para o oeste, em diagonal com alinhamento da rua. A escultura é uma peça inteiriça, medindo 4,20 de altura e 8 toneladas de peso. Ela representa a Amizade na forma de uma mulher de pé, sustentando com a mão direita uma palma de louros e com a esquerda os pavilhões americano e brasileiro, ornados por folhas de louro. Na cabeça, ostenta uma coroa de louros sobre um barrete frígio. O modelado da estátua e o panejamento de sua roupagem são excepcionais. Na face anterior do pedestal ficam as esculturas de Benevenuto  Berna. Elas são duas alianças entrelaçadas sendo que a primeira, composta por folhas de carvalho, emoldura a efígie do presidente George Washington, simbolizando o Exército dos Estados Unidos. A outra, composta por folhas de louro, traz o Patriarca da Independência do Brasil, José Bonifácio. Na área central das alianças, duas palmas envoltas em folhas de hera – símbolo da amizade perene – representam as duas Nações.
4 – Visitação:
            A visitação é livre, pois o monumento está erigido em uma praça pública.
5 – Bibliografia:
http://www.brasilcult.pro.br/rio_antigo2/esculturas/esculturas13.htm

Monument to Friendship Brazil USA: Brazil, State of Rio de Janeiro, Municipality of Rio de Janeiro
         It was donated by the American Chamber of Commerce in 1922, to commemorate the first centenary of Brazilian independence. A bronze statue was esculpted by the american sculptor Charles Keeke. But, due to lack of a podium, the statue was only inaugurated in 1931. In 1942 it was transferred to the 4th July square, in front of the American Consulate.
Vista do satélite google
Inauguração do monumento em 1931, face norte e oeste. Observe que o pedestal
é baixo. Observe o descampado ao lado. No alto aviões na inauguração
Monumento, face oeste, 1931. Observe o pedestal baixo com os medalhões de
Berna. Ao fundo a Igreja de Santa Luzia. 
A face oeste com os medalhões de Berna, ainda com e a inscrição
embaixo, 1960.
Monumento, face oeste (foto do autor)
Monumento, face oeste (foto do autor)

Monumento, face oeste. Observe que só a inscrição AMIZADE ainda resta,
o resto dela estando desaparecida (foto do autor)
Monumento, faces oeste e sul. Observe que só a inscrição AMIZADE ainda resta,
o resto dela estando desaparecida (foto do autor)
Monumento, face norte (foto do autor)
Monumento, face leste (foto do autor)

Monumento, face sul (foto do autor)
Monumento, face norte (foto do autor)
Monumento, face sul (foto do autor)
Monumento, face oeste (foto do autor)

Monumento, face oeste (foto do autor)

Monumento a Santander (1941)
Monument to Santander

1 – Localização:
          Município do Rio de Janeiro. Ap 1.0. Centro. Avenida Rio Branco s/nº (-22.912729, -43.174149)
2 – Histórico:
        O monumento do General Santander foi oferecido pelo governo colombiano ao Brasil. A sua inauguração ocorreu em 12 de dezembro de 1941, como parte da visita ao Brasil do ministro das Relações Exteriores da Colômbia, Luiz Lopes de Mesa, em uma cerimônia expressiva. O local estava ornado com bandeiras da Colômbia e do Brasil, tendo sido armado um palanque para as autoridades, próximo ao monumento, que se achava coberto com as bandeiras das duas nações. Alunos das escolas públicas davam a guarda de honra. O presidente da República, Getúlio Vargas, chegou ao local às 10 horas, acompanhado de suas Casas Civil e Militar, sendo recebido pelo prefeito, ministros de Estado, altas autoridades, delegações de todos os corpos do Exército e da Armada, Corpo Diplomático e outros elementos representativos. O presidente da República descerrou o bronze. Foram, por fim, prestadas as homenagens militares à grande figura da história colombiana, desfilando a tropa em continência. Francisco de Paula Santander (1792-1840) foi um militar e político colombiano, participando das lutas pela independência de seu país e assumindo, posteriormente, a sua presidência.
3 - Descrição:
A estátua de Santander está localizada em frente ao edifício do IBMEC, antigo Edifício Standard/Oil, no centro de um gramado, sobre um artístico pedestal de mármore, de 4m de altura. A estátua, obra de Francisco Victor Palma, mede 2 metros e 30 centímetros de altura. Santander tem uma larga capa sobre os ombros e veste o uniforme militar, tendo na mão esquerda a sua espada e na direita, levantada quase até a altura do peito um rolo de papel. No mármore estão encrustadas, em letras de bronze, duas inscrições: na frente, “General Francisco Santander – 1840-1940” e na parte de trás, “Colômbia al Brasil – 1840-1940”; e na base do pedestal há uma, placa de bronze, alusiva à inauguração.
4 – Visitação:
            A visitação é livre, pois o monumento está erigido em uma praça pública.
5 – Bibliografia:
http://www.labhoi.uff.br/sites/default/files/Imagens%20da%20amizade.pdf

Monument to Santander: Brazil, State of Rio de Janeiro, Municipality of Rio de Janeiro. Downtown
         It is a monument with a statue donated to Brazil in 1941 by the Governement of Colombia.
Vista do satélite google. À noroeste o Chafariz do Monroe. O Monumento a Santander fica quase encoberto pelas árvores. 
Monumento a Santander, face SO
(foto do autor)
Monumento a Santander, face SO 
(foto do autor)
Monumento a Santander, face SO 
(foto do autor)
Monumento a Santander, face SO. Detalhe 
do pedestal com a inscrição (foto do autor)
Monumento a Santander, face SE 
(foto do autor)
Monumento a Santander, face NO 
(foto do autor)

Monumento a Santander, face NE. Observe
a inscrição no pedestal 
(foto do autor)

Monumento ao Jurista Teixeira de Freitas (1905, 1910, 1993)
Monument to the Jurist Teixeira de Freitas

1 – Localização:
Município do Rio de Janeiro. Ap 1.0. Centro. Castelo. Avenida Marechal Câmara, s/nº (-22.909097, -43.169634)
2 – Histórico:
A estátua de Teixeira de Freitas, considerada um dos melhores trabalhos de Rodolfo Bernardelli, foi inaugurada, no antigo Largo de São Domingos, próximo à Avenida Passos, no dia 7 de agosto de 1905. Foi patrocinado pelo Instituto da Ordem dos Advogados do Brasil e custou 5:000$000. Em 20 de março de 1910, o monumento foi transferido para o local onde se encontrava o Silogeu, na entrada da Praça Paris. Em setembro de 1913, os estudantes da Universidade de Buenos Aires, em viagem de estudos no Brasil, colocaram no granito uma placa de bronze com a figura da mulher simbolizando a justiça, com a mão estendida sobre a tabuada lei. Nela, lê-se a inscrição: “Al gran maestro del derecho Teixeira de Freitas, los estudiantes de la Comission Universitária, em viaje de estúdio, de la Faculdad de Ciências Econômicas de Buenos Aires – Setembro 1913”. Por fim, a obra foi levada para a Avenida Marechal Câmara, próximo ao prédio da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), em 1983, ganhando uma placa da OAB no seu pedestal. Augusto Teixeira de Freitas (1816-1883) foi um grande jurisconsulto do Império, influenciando o direito em vários países, principalmente na Argentina.
3 – Descrição:
O monumento situa-se na Avenida Marechal Câmara, em uma ilhota entre as pistas, esquina com a Presidente Franklin Roosevelt. Ela segue a orientação da avenida, que é norte-noroeste – sul-sudeste, com frente para sul-sudeste.  A estátua ergue-se sobre um pedestal de granito, e quatro lances com 3m de altura, em pé em bronze, com as mãos cruzadas e tendo um livro debaixo do braço. O bronze mede 2,30m de altura.
4 – Visitação:
            A visitação é livre, pois o monumento está erguido em praça pública
5 – Bibliografia:


Monument to the jurist Teixeira de Freitas: Brazil, State of Rio de Janeiro, Municipality of Rio de Janeiro. Downtown
      It is a statue in honor to the great brazilian jurist Teixeira de Freitas, erected in 1905, which was transferred to the present location in 1993.
Vista do satélite google
Antigo cartão Postal

Monumento, frente (foto do autor)
Monumento, frente (foto do autor)

Monumento, frente. Placa no pedestal (foto do autor)

Monumento, parte de trás (foto do autor)